terça-feira, 10 de maio de 2011

utópica surpresa paulistana.

nunca fui contra o fato de que um dia ela iria embora, iria para longe, para aquela capital esquisita da qual sempre sonhou fazer parte. sempre acreditei que um dia ela iria e nunca esqueço o momento em que estava no trabalho e ela ligou: "eu vou".

era mais fácil quando eu apenas desejava que ela fosse, porque sabia o quanto aquilo a faria feliz.

então a gente aprendeu uma boa forma de lidar com tudo isso e resistir a saudade, eu vou quando posso, ela aparece quando dá, mas sempre fica faltando um pedaço. principalmente quando eu vou pra saj nas datas comemorativas e Nil sempre espicha o olho quando o carro pára na garagem e volta e meia diz: "eu achei que Nana vinha de surpresa".


eu sei, a vida tem dessas coisas. mas tem dias que sinômino de saudade é mais chato do que sempre.

6 comentários:

  1. Quanta falta ela faz...,mais se ela está feliz é o que importa =D

    ResponderExcluir
  2. rsrsrs. e eu emotiva que sou chorei também!
    A vida tem dessas coisas mesmo, e a saudade é um sentimento doloroso, mas faz a gente perceber o quanto tal pessoa é importante pra gente né?
    um beiiijo pocaa!!

    ResponderExcluir
  3. pois é, tb ando emotiva e saudosa :)

    ResponderExcluir
  4. Afffffffffff, linduu.....vc é danada heim Cunha......

    ResponderExcluir